Existem diversas patologias que podem afetar tanto pessoas quanto animais e esse é o caso da diabetes, doença grave e que pode causar uma série de danos à saúde quando não tratada corretamente.

A diabetes mellitus é caracterizada pela deficiência parcial ou total de insulina produzida pelo pâncreas, hormônio responsável por regular o metabolismo da glicose no organismo e, por sua vez, os níveis de açúcar no sangue.

Para maior qualidade de vida dos pets é fundamental que os tutores saibam como identificar a doença e controlá-la. Confira a seguir!

As causas da diabetes ainda não são conhecidas, mas estimasse que são vários os fatores que podem influenciar o surgimento dessa patologia. Entre eles podem ser destacados:

1 – questões genéticas;
2 – obesidade;
3 – infecções no pâncreas;
4 – processos inflamatórios;
5 – má alimentação, principalmente quando há predisposição genética;
6 –  mal uso de medicamentos.

O tipo mais comum da doença em cães é o Diabetes Mellitus insulinodependente (Tipo 1), no qual há redução ou ausência total da produção de insulina pelo organismo, exigindo a aplicação desse hormônio.

Nos cães, a ocorrência desse tipo de diabetes afeta um a cada 500 animais em idades entre 4 e 14 anos. No entanto, ela é mais comum entre os 7 e 10 anos e, em geral, as fêmeas apresentam o problema com mais frequência. Veja quais são as 10 raças com maior índice da doença.

Poodle;
Schnauzer;
Beagle;
Spitz;
Lhasa Apso;
Labrador;
Golden Retriever;
Pastor Alemão;
Cocker Spaniel;
Rottweiler;

Saiba quais são os sintomas!
O sintoma mais clássico da diabetes é que o animal apresenta mais sede e urina com maior frequência. Além disso, apesar de ter um apetite normal e comer regularmente, o animal apresenta perda de peso. Outros, por sua vez, podem tornar-se obesos.

Cuidado!
Nem todos os pets diabéticos precisam de insulina. Consulte sempre um veterinário.